26 DEZ 2021

 

Ao completar 30 anos de atuação na música, Esso entrega ao público uma coleção com o videoclipe para a inédita BR Jabá, o EP Mussambê (com 4 sambas) e a minissérie Alma de Poeta, feita em parceria com a atriz Bárbara Cristina. Ambas as produções são fruto da Lei Aldir Blanc, que possibilitou ao meio artístico a sobrevivência cultural em tempos de pandemia. O clipe para a canção BR Jabá foi realizado em parceria com Andre Pyrrho e gravado nas escadarias de Mãe Luíza. Uma versão recitada da letra também foi inserida no primeiro capítulo da minissérie.

            Estruturada em 3 partes, o seriado explora a trajetória do trabalho do artista referente à proposta do seu segundo disco, intitulado Alma de Poeta, que cristalizou a relação entre literatura e música, presente desde o início de sua atuação como cantor e compositor. Fruto do Prêmio Pixinguinha, após o lançamento à época o projeto investiu na formação de público para estudantes dos níveis fundamental e médio em uma jornada ao lado do Grupo Teart de Teatro, levando as escolas para dentro do teatro com o concerto-recital homônimo.

Além de mostrar um pouco desse processo, também estão referenciados no documentário a importância da banda Os Quatro, com a qual Esso iniciou sua atuação na cena musical potiguar em 1991, seu envolvimento com o setorial e a criação da Rede Potiguar de Música e da Cooperativa da Música Potiguar, seu ativismo na fundação do Fórum Potiguar de Cultura etc. O filme toma como mote a poesia e a música e faz um apanhado geral dessas 3 décadas de produção do músico, com imagens de acervo desse período, versões inéditas para algumas de suas canções, e interpretações exclusivas para seus textos, recitados por Bárbara. E destaca a aproximação com Samir Almeida, em composições conjuntas que ganham leituras em cada um dos episódios, incluindo Humanoide, dedicada a Marcelus Bob. Uma outra lembrança merecida é a da saudosa D. Edite do Pium, que se apresentava na abertura dos shows da temporada durante a miniturnê de lançamento do CD na região metropolitana.

Por fim, seguindo seu propósito de publicar uma trilogia rítmica em Natal, Esso apresenta o EP Mussambê. Composto de 4 sambas, as faixas foram gravadas no Studium por Jota Marciano, e estão disponíveis no canal da FEL Produções de Arte, onde todos os outros vídeos mencionados também poderão ser assistidos em www.youtube.com/felprodarte.




[ALMA de POETA – minissérie / cap I]


https://youtu.be/IWYYyHJJdDY

[ALMA de POETA – minissérie / cap II]


[ALMA de POETA – minissérie / cap III]


PARA VER DE UMA SÓ VEZ

[ALMA de POETA – minissérie completa]




[BR JABÁ - videoclipe]


[BR JABÁ - recital]



[MUSSAMBÊ ep]

 

02 SET 2021

 


QUINTAUTORAL 


Celebrar a poesia em Natal, como a cidade faz há décadas com o Dia Nacional da Poesia (14 de março), está na semente da proposta para Alma de Poeta, disco de Esso lançado em 2009 com músicas suas para poemas de autores potiguares. Era pra ter sido um show dOs Quatro, mas já foi oficina literária também, e agora vai se tornar uma minissérie, que está sendo produzida pela FEL em parceria com o Grupo Teart e a Casa do Poeta, berço de Ferreira Itajubá, na Rua Chile, Ribeira.

Nesse endereço histórico estão acontecendo as locações para a atuação de Esso Alencar e Bárbara Cristina, que estão juntos através de uma relação estabelecida por ocasião dos shows de lançamento do CD Alma de Poeta, (Elefante Registros - 2009), onde a atriz interpretava a primeira página do prólogo de Zaratustra (Nietzsche), na abertura. A presença dela e de Marcos Cavalcante deram o tom do teatro e da literatura na miniturnê do concerto-recital homônimo ao disco.

            Uma nova interação entre o trabalho artístico dos dois terá como resultado uma minissérie com 3 capítulos, que será lançada em setembro, onde eles rememoram a trajetória que desenvolveram a partir daquele primeiro momento, com outras ações relacionadas, especialmente o trabalho que fizeram durante alguns anos com a rede de estudantes dos diversos níveis de ensino, levando-os ao teatro para uma atividade de valorização da poesia na música potiguar.

Em fase de finalização, a dupla abre nessa quinta-feira (02/09), para um pequeno público convidado, uma prévia apresentação do conteúdo que compõe o filme, numa apresentação ao vivo que acontecerá na Casa do Poeta. Esso aproveitará a data para apresentar os sambas que integrarão Mussambê (EP), projeto com o qual vem trabalhando ultimamente para dar seguimento à trilogia rítmica.

É também a oportunidade para uma possível retomada do Quintautoral, um programa revertido para a produção musical autoral potiguar, proporcionando uma maior aproximação de seus compositores, intérpretes e instrumentistas, à medida que as condições sanitárias forem permitindo. A FEL Produções de Arte já produziu uma ação semelhante no mesmo espaço, com a mesma proposta, reunindo os artistas para mostrarem suas músicas novas no quintal do casarão.

Também ali estão sendo ensaiadas as cenas do espetáculo ‘Fogo de Palha’, que o grupo Teart prepara para levar à rua assim que der. O texto é uma adaptação da história contada por Carlos de Souza no livro É Tudo Fogo de Palha, que remete aos primórdios do fazer teatral em Natal. Bárbara dirige o elenco e se divide entre esta peça e ‘O Lendário Coração da África’, que também integra o repertório do grupo.

 

30 MAR 2021

          


            Foi lançado nessa semana o Elefante Elegante, um programa de rádio que está sendo disponibilizado na internet com a finalidade de difundir a produção musical potiguar (ou ao menos parte dela). Inicialmente previsto para ser distribuído em 4 arquivos de difusão (podcasts), o conteúdo deverá ser liberado com regularidade, em periodicidade que ainda está sendo definida.

Nessas primeiras décadas do século, com o incremento tecnológico que atingiu a indústria fonográfica, houve um aumento considerável no número e na qualidade dos estúdios de gravação, profissionais e amadores, tornando possível a criação das condições para aumentar o registro do vasto repertório produzido pelos potiguares. Desde então vem sendo realizados diversos lançamentos, com uma constância que mostra a força e a diversidade desse cenário, englobando intérpretes, compositores, arranjadores, instrumentistas, músicos e mais uma vasta equipe técnica, que juntos são a fonte dessa rica cadeia produtiva que é a própria música.

Para contribuir com a divulgação dessa produção e dar a esses artistas a visibilidade de que carecem é que nasceu esse programa, idealizado pelo compositor e músico Esso Alencar, que assina o roteiro e a direção, além da apresentação, dividida com a locução de Jota Marciano. Ambos já trabalharam no rádio convencional, antes de se dedicarem às suas atuais profissões.

“O programa foi pensado para compensar a falta de maior espaço para tocar a nossa música nas rádios locais, expandindo o alcance para o que a gente faz aqui”, diz Esso. Esta ação se soma a outras que ao longo de sua atuação já foram feitas com o mesmo propósito, como a coluna A Cena, publicada impressa em jornais da capital, e o Roteiro Musical Diário, disponibilizado eletronicamente.

Jota Marciano enfatiza que estão sendo produzidos a princípio 4 pilotos (protótipos) de uma hora de duração cada, onde estará presente uma significativa parcela do que vem sendo produzido pelos artistas potiguares. “Estamos aproveitando muita coisa que foi gravada aqui no Studium, mas também estamos abertos para receber material de outros interessados em tocar no programa”.

Os arquivos deverão ser enviados em mp3, entre 128k e 192k, com o título da faixa, os nomes do intérprete e a autoria, além de um pequeno texto com informações acerca da obra, a ser remetidos via <acena@bol.com.br>.

Para acessar o conteúdo, o ouvinte deve sintonizar em Audiorradio.


24 FEV 2020



Esso é uma das atrações confirmadas do Festival Pôr do Som, que acontecerá em Pium, com show programado para a segunda de carnaval – 24/02, às 18h. O festival integra a programação oficial do Carnaval 2020 da prefeitura de Parnamirim. 

Para a ocasião o cantor/compositor irá apresentar versões para as canções do seu mais recente CD, Várzea da Caatinga (forrós magnéticos). Acompanhado de Priscila Matos (teclados), Júlio Lima (baixo), Sílvio Franco (bateria/percussões) e Ilton Oliveira (trianglo/efeitos/vocais), Esso aproveita a ocasião para dar aos presentes uma mostra do show ‘Agreste’, com o qual vem apresentando o disco mais novo. 

Contendo 13 faixas, ‘Várzea da Caatinga – forrós magnéticos’ remete às raízes sertanejas do autor e revela as influências da cultura nordestina em sua criação, dialogando com a obra de artistas regionais, como Luiz Gonzaga e Jackson do Pandeiro, além do seu próprio pai sanfoneiro, Zé de Cezário, a quem o CD é dedicado. Lulinha Alencar foi corresponsável pela maioria dos arranjos ao lado do irmão e imprimiu sua versatilidade e riqueza harmônica ao conjunto. 

Natural da caatinga do sertão potiguar, Esso iniciou sua carreira musical em Natal, onde cantou e compôs para a banda “Os Quatro”, (1991-2001). Após sua atuação na cena roqueira da capital, investiu no intimismo de uma linguagem mais contida e serena em seus três CDs: Bossta Nova (2006), Alma de Poeta (2009) e Várzea da Caatinga (2017).